Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Becoming Farmer

Diário de um apaixonado pela natureza, meio ambiente e que se está a tornar agricultor

Becoming Farmer

Diário de um apaixonado pela natureza, meio ambiente e que se está a tornar agricultor

Top 100 CO2

André, 05.08.21

Algumas notícias das últimas 4 semanas:

Incêndios devastam costas da Turquia;

Incêndio de grandes dimensões nos arredores de Atenas;

Cheias já causaram 183 mortes, só na Alemanha 156;

Temporal. Seis mortos é o balanço provisório nas cheias na Bélgica;

Uma onda de calor histórica está a afetar grande parte do noroeste do Pacífico nos Estados Unidos, tornando a seca ainda pior.

 

@euronews

Apesar dos esforços e de uma maior consciência dos impactos das nossas ações no planeta e em tudo o que acontece em consequência disso, é claramente insuficiente para evitar o que está a acontecer.

 

O que podemos mudar?

Iremos a tempo de inverter esta tendência?

Há 100 empresas que acham que não, só elas contribuem com 71% de todas as emissões de CO2 para a atmosfera.

 

Curioso a sua geografia e core business.

Top100Co2.jpg

@SasjaBeslik

Hambúrguer de grão

André, 27.07.21

Desde cedo que ambicionava ser desportista profissional, a bola era a minha melhor amiga. Conseguia fintar todos os vícios que me pudessem desviar do caminho que havia traçado.

 

Para mim ser saudável estava diretamente ligado ao desporto. Quando fecho os olhos e tento lembrar-me desses tempos, surge-me, a imagem de um jovem energético e cheio de sonhos, também surge a imagem das lágrimas a escorrerem-me pelo rosto quando descobri que tinha colite ulcerosa (doença inflamatória do intestino). Pode ter sido o início do fim do sonho, mas não poderia ser o de continuar na busca de ser saudável.

Anos mais tarde os sintomas agravaram-se e não aguentava mais aquele sofrimento.

Foram momentos em que me voltei mais para o meu interior!

 

O que seria mais importante para mim?

Haveria alguma coisa que pudesse fazer para inverter a situação?

 

Foram vários os caminhos explorados, aquele que teve maior impacto na minha vida, foi ter frequentado o curso Fazer da Cozinha a sua Farmácia, adquiri imenso conhecimento sobre os alimentos, seus benefícios para a saúde e sobretudo reforcei o meu mind-set sobre o que é “ser saudável”.

 

Um dos propósitos do blog é partilhar receitas saudáveis e os benefícios dos alimentos para a nossa saúde. Em baixo deixo uma das minhas receitas preferidas, hambúguers de grão, são deliciosas e bastante nutritivas!

 

Ingredientes:

2 chávenas de grão de bico cozido e escorrido

1 talo grande de alho-francês

1 cenoura

1 batata-doce cozida

1 ramo de salsa

1 colher de sopa de molho de soja ou sal q.b.

1 a 2 colheres café de cominhos

1 colher café de açafrão-das-índias

1 colher café de manjericão em pó

4 colheres sopa de pão ralado

azeite q.b.

 

Preparação:

  • Escorra o grão;
  • Corte o alho-francês em juliana e rale a cenoura; esmague a batata-­doce com um garfo e pique finamente a salsa;
  • Aqueça uma frigideira anti-aderente com um fio de azeite e saltei o alho­-francês e a cenoura por cerca de 5 minutos. Junte o grão, a batata e a salsa. Tempere com o molho de soja, os cominhos, o açafrão, e o manjericão. Deixe cozinhar por 3 minutos, mexendo;
  • Triture grosseiramente com a varinha mágica, apenas por alguns segundos, para obter uma massa granulosa. Misture o pão ralado e envolva bem;
  • Retire colheradas de massa e molde na forma que desejar. Unte-as ligeiramente com azeite e e transfira-as para um tabuleiro forrado com papel vegetal:
  • Leve ao forno pré-aquecido a 180ºC por cerca de 20 minutos ou até dourarem.

hambuguer_grao.jpeg

 

Informações complementares:

  • O consumo de leguminosas poderá diminuir o risco de cancro colorretal e são uma fonte de proteína, fibra e ferro. De forma a melhor absorvermos os seus nutrientes deverão ser demolhados;
  • O açafrão-das-índias poderá ter efeitos anti-inflamatórios e anti-cancerígenos. Quando consumido com pimenta-preta é mais facilmente absorvido;
  • As cebolas são uma das melhores fontes de polifenóis, sendo particularmente ricas em quercetina, fitoquímico com propriedades anti-inflamatórias, anti-proliferativas e antioxidantes. Além das propriedades anti-cancerígenas, as cebolas são também úteis na prevenção de doenças cardiovasculares. As cebolas roxas são as mais ricas em polifenóis, seguidas das amarelas e das brancas. De forma a manter a máxima concentração destes fitoquímicos deve-se descascar retirando o mínimo possível da casca. Descascar demasiado a cebola roxa pode significar a perda de 20% de quercetina e 75% de antocianidinas;
  • A batata-doce, ao contrário da batata comum, é muito rica em beta-caroteno, luteína e antocianidinas, fotoquímicos com propriedades anti-cancerígenas. Quanto mais cor-de-laranja for a batata, mais rica será em carotenoides. Cerca de 80% da proteína da batata-doce funciona como um inibidor de protéase com um potencial anti-cancerígeno. Comparado com outras forma de cozinhar, cozer as batatas-doces em água retém mais do seu potencial antioxidante. Além disso, a batata-doce cozida tem cerca de metade do índice glicémico daquelas que são assadas.

O bebé faz 1 ano

André, 25.07.21

O becoming farmer nasceu há 1 ano, foi o meu amor pela natureza e a vontade em partilhar as aprendizagens, desafios e descobertas no caminho que estou a fazer na agricultura que têm dado alma a este blog.

Agradeço a todos os leitores e colegas bloggers a simpatia e a atenção que têm para com este bebé... OBRIGAGO!

 

Aniversario1.jpg

@Markus Spiske 

Seitan com legumes salteados

André, 08.07.21

 

O seitan é um dos substitutos da carne e peixe mais utilizados pelos vegetarianos e macrobióticos. No que se refere ao valor nutritivo, para além de ser rico em proteínas, possui um teor baixo em gorduras (sem gorduras saturadas nem colesterol). Possui ainda algumas vitaminas e minerais.

Foi elaborado pela primeira vez há séculos pelos monges budistas da China, o seitan chegou ao Ocidente e rapidamente passou a ser considerado como um alimento básico das dietas vegetarianas.

 

Partilho uma receita nutritiva à base de seitan e legumes.

 

Ingredientes:

  • 200gr de Seitan
  • 500gr abóbora
  • 200gr espinafres (ou outra verdura)
  • 10 folhas de manjericão (ou outra erva aromática)
  • Folhas de aipo
  • 1 cebola
  • 4 dentes de alho
  • 40 cl Azeite
  • 1/2 pimento vermelho
  • Molho de soja q.b.
  • Sumo de 1 limão
  • Gengibre em pó q.b.
  • Sal q.b.

 

Preparação:

  1. Cortar cebola e o alho às rodelas. Deixar reservar durante 10 minutos;
  2. Cortar seitan aos cubos;
  3. Cortar abóbora aos cubos;
  4. A cebola e o alho vão a refogar em azeite, em lume brando, até a cebola ficar translúcida;
  5. De seguida juntar a abóbora e o pimento cortado em tiras. Temperar com sal.
  6. Passados 5 min de estar a ferver colocar o seitan, os espinafres, aipo, temperar com sumo de 1 limão e o molho de soja. Mexer.
  7. Quando os espinafres estiverem cozidos colocar as folhas de manjericão e temperar com gengibre em pó. Mexer.
  8. Confirmar que a abóbora está cozida.
  9. Provar para confirmar que os temperos estão a gosto e está pronto a servir.

 

Informações complementares:

  • As abóboras são um dos alimentos mais ricos em carotenóides, incluindo beta-caroteno, luteína e zeaxantina. Alguns polissacáridos deste alimento tem propriedades anti-inflamatórias. Além disso, é uma boa fonte de vitamina C, fibra, vitamina B6, manganésio e cobre;
  • O aipo é muito rico em fitoquímicos com propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, tais como a epigenina, também conhecida pelas suas propriedades antiangiogénicas. Além disso, é uma fonte excelente de vitamina K e boa fonte de folato, potássio e fibra. Ao ser cozinhado a vapor, o aipo conserva a maior parte dos seus fitoquímicos e nutrientes;
  • Ao deixarmos repousar o alho 10 minutos depois de cortar ou esmagar, são libertadas enzimas que permitem a formação de alicina, substância com propriedades anticancerígenas. Consumir alho poderá diminuir o risco de cancro do estômago, colorretal e ovário;
  • As cebolas são uma das melhores fontes de polifenóis, sendo particularmente ricas em quercetina, fitoquímico com propriedades anti-inflamatórias, antiproliferativas e antioxidantes. Além das propriedades anticancerígenas, as cebolas são também úteis na prevenção de doenças cardiovasculares. As cebolas roxas são as mais ricas em polifenóis, seguidas das amarelas e das brancas. De forma a manter a máxima concentração destes fitoquímicos deve-se descascar retirando o mínimo possível da casca. Descascar demasiado a cebola roxa pode significar a perda de 20% de quercetina e 75% de antocianidinas;
  • O espinafre é um vegetal verde-escuro rico em vitaminas A, C e E, e compostos fenólicos, como luteína, zeaxantina e canferol, com propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, que auxiliam no combate ao envelhecimento precoce da pele e evitam o desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Além disso, o espinafre possui também minerais como potássio e cálcio, necessários para a regulação da pressão arterial, e ferro, um mineral essencial para ajudar no tratamento e na prevenção da anemia;
  • Os pimentos têm mais de 30 carotenoides, incluindo betacaroteno e zaexantina, ambos com propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes. Além disso, são uma excelente fonte de vitamina C e boa fonte de vitamina E.

Como continuamos a destruir

André, 02.07.21

Cada vez com maior frequência, nos últimos anos temos assistido a alertas que o caminho que a humanidade está a seguir é extremamente perigoso e não terá retorno. Em 2019 a Academia Europeia das Ciências apresentou um relatório que mostrava claramente que as nossas vidas estão em risco perante as alterações climáticas:

  • As alterações climáticas são uma das maiores ameaças à saúde;
  • A temperatura à superfície da terra continua a aumentar, prevê-se um aumento de mais 6ºC até ao final deste século;
  • Nos impactos diretos, os cientistas apontavam para quebras na produção de alimentos na casa dos 5-25% na região mediterrânica nas próximas décadas, com consequências na segurança alimentar, ou a propagação de doenças como a dengue ou a malária;
  • Além destes impactos, também surgem os indiretos que afetam a saúde mental das populações devido ao stress relacionado com perda de colheitas ou de casas devido às secas, fogos ou à subida do nível do mar.

 

HotCanada.jpg

@ScottDuncan

 

O esforço e alertas feitos nos últimos 2 anos têm sido suficientes para invertermos o cenário negro apresentado anteriormente?

As notícias que chegam do continente Americano nos últimos dias dão-nos a resposta:

  • O Canadá quebrou seu recorde de temperatura pelo terceiro dia consecutivo - 49,6°C em Lytton, na Colúmbia Britânica, província que fica na costa oeste do país;
  • O noroeste dos Estados Unidos também registou temperatura recordes - e uma série de fatalidades;
  • A polícia de Vancouver respondeu a mais de 130 mortes súbitas desde sexta-feira (25/06);
  • O calor na região ocidental do Canadá e dos EUA foi causado por uma cúpula de ar quente de alta pressão estática que se estende da Califórnia aos territórios árticos;

 

Que legado queremos deixar?

Como queremos ser recordados?

Imagine-se daqui a 10, 20, 30 ou 40 anos...

Quando penso a fundo nestas questões, sinto que posso alterar mais, ser mais ativo, mais interventivo, aproveitar as ferramentas que tenho para mobilizar, ajudar, modificar, fazer mais e mais.

Arrisco-me a dizer que este sentimento é comum a todos os que conseguem ver mais do que o curto prazo, o lucro e a economia.  

 

Os recordes de calor são geralmente quebrados por casas decimais, como um décimo de grau. E não em Junho...

Estamos a destabilizar o planeta. Entretanto, os nossos líderes continuam a destruir as condições de vida presentes e futuras.

Como ser sustentável

André, 09.06.21

Desde que me lembro de ser gente que sonhava ser pai e fui logo abençoado em dose dupla há 9 anos atrás. Os filhotes estão agora a frequentar o 3º ano e como estamos em Junho, o mês do Meio Ambiente, esta temática tem sido bastante explorada nas aulas.

 

Ontem levaram uma pequena ficha para fazerem em casa e entre identificação dos oceanos, planetas, ecopontos, houve duas questões que me chamaram a atenção.

 

Quais são os 5 Rs da sustentabilidade?

Gostaria de saber como podes alterar o teu comportamento para termos um planeta mais sustentável?

 

Vivemos numa sociedade com muitos estímulos para o consumo, para o descartável. Mas estas questões fizeram-me refletir em como seria diferente se todos aplicássemos mais os princípios dos 5 Rs e tivéssemos este compromisso com o meio ambiente.

 

Depois de uma rápida pesquisa na internet, o meu filho escreveu os 5 Rs:

  • Reduzir o consumo;
  • Repensar a forma como consumimos;
  • Recusar produtos e/ou empresa que não seguem leis sustentáveis;
  • Reutilizar materiais;
  • Reciclar corretamente o lixo.

 

Foi um excelente exercício para mim como pai e para os meus filhos, e no final escreveu, “vou reutilizar mais os meus materiais, fazer menos lixo e limpar as praias”!

sustentabilidade.jpg

 

Dia Mundial do Ambiente

André, 04.06.21

Em pleno século XXI as notícias são incontornáveis:

  • As alterações climáticas são uma das maiores ameaças à saúde, de acordo com um novo relatório do Conselho Consultivo da Academia Europeia das Ciências;
  • A temperatura à superfície da terra continua a aumentar, prevê-se um aumento de mais 6ºC até ao final deste século;
  • Alguns dos riscos para a saúde relacionados com as alterações climáticas incluem

    ->  Exposição a temperaturas cada vez mais elevadas e eventos extremos como inundações, secas, poluição e alergénios;

    -> Diminuição da segurança alimentar;

    -> Aumento da incidência de doenças infecciosas em parte devido ao crescimento de mosquitos transmissores de doenças;

    -> Risco de migração;

 

Dia 5 de Junho de 2021 celebra-se o Dia Mundial do Ambiente que é o maior evento anual das Nações Unidas (ONU) para sensibilizar e promover a ação ambiental e a necessidade de proteger o nosso planeta.

O Paquistão será o anfitrião e o tema é «A Restauração do Meio Ambiente». Pretende-se consciencializar para a importância da aproximação do ser humano ao meio ambiente.

 

DiaMundialAmbiente3.jpg

Será que a economia e o discurso de desenvolvimento, tem capacidade para ter consciência que este é o grande desafio das nossas vidas?

Será que o ego dos decisores políticos tem humildade suficiente para perceber o impacto que as suas decisões têm no futuro da humanidade?

@unsplash.com

 

Todos temos de fazer mais, muito mais!!!

 

O objetivo desta temática celebrada este ano é consciencializar governos, empresas e sociedade civil na importância da recuperação de ecossistemas que tenham sido degradados ou destruídos, bem como na necessidade de conservação daqueles que ainda estão intactos. A existência de ecossistemas mais saudáveis, com uma biodiversidade mais rica, irá produzir maiores benefícios para o planeta e garantir a subsistência de milhares de milhões de pessoas que dependem deles.

 

 

Para enfrentar a tripla ameaça das alterações climáticas, perda da natureza e poluição, o mundo deve restaurar pelo menos mil milhões de hectares degradados de terra na próxima década. A área equivale ao tamanho da China. E um plano semelhante será preciso para salvar os oceanos.

DiaMundialAmbiente4.jpg

@unsplash.com

 

O mais recente relatório do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Pnuma, e da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, FAO, vem mostrar que a humanidade está a utilizar cerca de 1,6 vezes a quantidade de recursos que a natureza pode fornecer de forma sustentável. Isto significa que os esforços de conservação são insuficientes para evitar o colapso do ecossistema e a perda da biodiversidade.

 

Os custos globais de restauração terrestre, não incluindo os custos de restauração de ecossistemas marinhos, são estimados em pelo menos 200 mil milhões de dólares por ano até 2030.

 

O relatório afirma que cada dólar investido cria até 30 dólares em benefícios económicos.

A restauração dos ecossistemas pode ajudar a enfrentar grandes crises. Ao restaurar a saúde e a produtividade dos ecossistemas terrestres e marinhos degradados, podemos reduzir a perda de biodiversidade, travar as alterações climáticas, criar empregos e aumentar a saúde e o bem-estar dos cidadãos.

 

Imagine que nada se faz…

Imagine que daqui a 5 anos estamos a falar no mesmo…

 

Numa era pós pandemia, a restauração de ecossistemas em todo o mundo poderá dar um contributo importante para a criação de um planeta mais saudável!

DiaMundialAmbiente5.jpg

@unsplash.com

 

Referências:

  1. Organização das Nações Unidas. Disponível aqui

Por dentro dos benefícios da batata-doce

André, 27.05.21

A batata-doce é um tubérculo originário da América Central e do sul e constitui parte da dieta alimentar dos seres humanos desde há muitos milénios. Este alimento tem uma enorme riqueza nutricional, que o lhe confere propriedades benéficas para a saúde.

 

Em Okinawa no Japão, uma das consideradas Zonas Azuis, e onde as pessoas têm vidas longas e saudáveis até aos 100 anos, um dos produtos da sua base alimentar é a batata-doce roxa. Tal como os outros tipos de batatas-doces, contém um antioxidante chamado sporamin, com várias e potentes propriedades de anti-envelhecimento. Porém, a versão roxa é mais rica em antioxidantes do que as suas primas de outras cores.

 

Alguns dos benefícios são descritos pela coordenadora de Nutrição Clínica do hospital dos Lusíadas, a Drª Ana Rita Lopes:

  • Elevado teor em vitaminas - A batata-doce tem um elevado teor em vitaminas, especialmente betacaroteno;
  • Estimula a produção de melanina na pele;
  • Dá maior resistência a infeções - O elevado teor em vitaminas antioxidantes (A, C e E) confere à batata-doce propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, contribuindo para a estimulação do sistema imunitário e maior resistência a infeções;
  • Reduz a absorção de colesterol devido ao seu elevado teor em fibra;
  • Regulação da glicemia - A fibra solúvel atrasa a absorção dos açúcares, conferindo à batata-doce um Índice Glicémico (IG) inferior ao da batata comum, o que permite uma maior regulação dos níveis de açúcar no sangue;
  • Nutrição desportiva - A batata-doce é muito consumida pelos desportistas pela libertação lenta de açúcar sangue;
  • Versatilidade - Pode ser confecionada de diversas formas: cozida, assada, em puré, frita, como alternativa no prato principal à batata comum, do arroz, da massa, etc. Pode ainda ser utilizada na confeção da base das sopas.

 

Estes e outros benefícios têm sido amplamente divulgados, o que tem originado um aumento do consumo e consequentemente da produção.

batata_doce.jpg

Atualmente, os dez maiores países produtores de batata-doce são a China, Nigéria, Tanzânia, Etiópia, Indonésia, Uganda, Vietname, EUA, Índia e Ruanda (Worldatlas, 2018).

 

Apesar do aumento de produção também em Portugal, prevê-se que a procura não seja satisfeita pela produção em território nacional, havendo necessidade de recorrer à importação tanto de materiais para plantação, como para consumo.

 

Partilho uma foto da minha plantação de batata-doce feita há  poucas semanas. A colheita deverá ocorrer entre 90 a 120 dias após a plantação, sendo um dos principais sintomas de que as batatas doces estão prontas a ser colhidas, a cor amarelada da rama, ao invés da cor verde predominante.

plantacao_batata.jpg

 

 

Portugal sem recursos

André, 13.05.21

Quando consultamos o dicionário, ficamos sem dúvidas que recursos são um conjunto de meios disponíveis para serem utilizados (ex.: recursos hídricos; recursos humanos; recursos materiais; recursos naturais).

 

Desde hoje, dia 13 de Maio, Portugal começa a viver a “crédito ambiental”, ou seja, os cidadãos consumiram todos os recursos que permitiriam viver de forma sustentável este ano de 2021.

O ano passado o dia da sobrecarga só chegou em 25 de maio.

 

As áreas que têm mais peso na pegada ecológica de Portugal são alimentação, responsável por 32% do consumo de recursos, e a mobilidade.

Não obstante todos os esforços que fazemos pela eficiência energética, pela reciclagem, Portugal não está a conseguir reduzir a pegada ecológica, e continua a aumentá-la.

 

O que temos de mudar?

  • Para a associação Zero, os objetivos devem passar pela redução do consumo de proteína animal e a aposta numa “alimentação típica mediterrânica, com mais vegetais, leguminosas e mais fruta”. De acordo com os dados para Portugal, os cidadãos consomem três vezes mais carne do que se recomenda na roda dos alimentos, metade dos vegetais, um quarto das leguminosas e dois terços da fruta;
  • Movimentarmo-nos de forma sustentável, privilegiar os transportes coletivos, andar de bicicleta, a pé, e claro, reduzir ou eliminar mesmo as viagens de avião substituindo nomeadamente as reuniões por videoconferência;
  • Consumir de forma mais circular, é fundamental mudar o paradigma de “usar e deitar fora”, muito assente na reciclagem, incineração e deposição em aterro, para um paradigma de “ter menos, mas de melhor qualidade”, com um forte enfoque na redução, reutilização, troca, compra em segunda mão e reparação.

 

Portugal tem uma oportunidade única de aproveitar o Programa de Recuperação e Resiliência, a par com fundos de apoio europeus, para implementar transformações que possam contribuir para que possamos viver com bem-estar, respeitando os limites do planeta.

pegada_ecologica.jpg

Referências:

  1. Zero, Portugal aciona cartão de crédito ambiental cada vez mais cedo. Disponível aqui.

European Organic Congress

André, 06.05.21

O Planeta está cada vez mais poluído, com a emissão de mais CO2 para a atmosfera, o efeito de estufa continua a aumentar, cada vez mais doenças crónicas afetam pessoas em todo o mundo, se não houver uma inversão urgente das políticas e dos comportamentos, enfrentaremos mudanças irreversíveis que terão um grande impacto na nossa vida.

 

O European Organic Congress é uma feira onde são discutidas as políticas de desenvolvimento da alimentação e agricultura orgânica. Neste evento são abordados vários temas como:

  • Green deal da UE;
  • A contribuição da agricultura biológica para a mitigação das alterações climáticas;
  • Sistemas alimentares sustentáveis;
  • Desenvolvimento rural;
  • E muito mais…

 

A 15ª edição do evento realizar-se-á em Lisboa de 16 a 18 de Junho, e devido à pandemia podemos assistir online.

 

A organização é da responsabilidade IFOAM e da Agrobio. Podendo reservar um lugar virtual aqui.

organic_congress.jpg

 

Referências:

  1. European Organic Congress
  2. Agrobio
  3. IFOAM Organics International